Legenda: O Rev. Jorge Domingues (no púlpito) dirige uma oração a representantes das iniciativas étnicas da Igreja Metodista Unida durante a sessão de informações da Conferência Pré-Geral de 2020 em Nashville, Tennessee. Domingues é diretor executivo de ministérios relacionados da Conferência Califórnia-Nevada. Da direita para a esquerda: Rev. Paul Chang, Diretor Executivo do Plano para o Ministério da Coréia; Manuel Padilla, diretor interino do Plano Nacional para o Ministério Hispano-Latino; Bispa Minerva Carcaño, líder episcopal da Conferência Anual Califórnia-Nevada; Rev. John Oda, Gerente de Plano do Ministério da Língua Asiático-Americana; Rev. Chebon Kernell, Diretor Executivo do Plano Expandido Nativo-Americano; Revda Lyssette Perez, pastora do IMU Oasis em Pleasantville, Nova Jersey e presidente da MARCHA; Toska Medlock Lee, diretora interina do Plano de Fortalecimento da Igreja Negra para o século XXI; Monalisa Tuitahi, Diretora Executiva do Comitê Nacional das Comunidades das Ilhas do Pacífico e Rev. Gustavo Vasquez é Diretor de Notícias Metodista Unido para o público hispânico-latino. Foto de Mike DuBose, Nptocoas MU.

As minorias étnicas raciais que participam da vida da Igreja Metodista Unida (IMU) participaram da reunião preparatória da Conferência Geral 2020 (Pré-Conferência 2020), na qual reivindicaram a importância do ministério entre as minorias, e do espírito de unidade que prevalece entre os diferentes planos ministeriais desses grupos.

A bispa Minerva Carcaño, líder episcopal da Conferência Anual Califórnia-Nevada, reivindicou o papel dos planos no desenvolvimento ministerial e no crescimento da IMU. Foto por Mike DuBose, Notícias MU.

A Bispa Minerva Carcaño compartilhou algumas reflexões sobre a importância de honrar nossa diversidade como igreja: “Não seria maravilhoso se nós, a Igreja, nos deleitássemos como crianças, colorindo o Reino de Deus com nossa diversidade, habitando-o com a plenitude da paleta de cores com a qual Deus nos criou, com espaço suficiente para todos nós?”

Carcaño afirmou o papel que os planos têm desempenhado no desenvolvimento ministerial da Igreja Metodista Unida (IMU), entre as comunidades étnico-raciais: “Recebemos o fruto dos poderosos esforços de nossos Planos Nacionais em novos membros que nos ajudam ver o mundo com mais clareza e afirmar para nós que Deus está conosco. Por outro lado, nossa adoração e especialmente nossa hinologia foram enriquecidas, e hoje em nossos seminários, professores de todo o mundo direcionam seu profundo conhecimento sobre a mensagem de Deus e nos ajudam a nos equipar para falar em um mundo que precisa de esperança e transformação – graças aos planos nacionais ”.

Finalmente, a bispa enfatizou a preocupação de que os planos mantenham o apoio financeiro de qualquer estrutura futura que a igreja adquira: O fato de os planos nacionais apresentarem seus orçamentos de quatro anos, juntamente com um compromisso com iniciativas multiculturais, é um sinal de que eles capturaram a visão do que realmente é o Reino de Deus … No entanto, à medida que avançamos para a Conferência Geral 2020, há motivos de preocupação dos institutos universitários, que historicamente facilitaram o estudo para minorias étnicas e raciais.

Rev. Chebon Kernell, diretor executivo do Plano Expandido de Nativos Americanos e da Revda. Lyssette Perez, Pastora no OMI Oasis e,m Pleasantville, Nova Jersey, e presidente da MARCHA. Foto Mike DuBose, Notícias MU.

Em seguida, os líderes dos diferentes planos compartilharam informações sobre o trabalho das diferentes comunidades e a relevância desse trabalho ministerial no contexto da sociedade americana, composto pelo Rev. Jorge Domingues, Diretor Executivo dos Ministérios de Conexões da Conferência Anual. Califórnia-Nevada; Rev. Chebon Kernell, Diretor Executivo do Plano Expandido Nativo-Americano; Toska Medlock Lee, diretora interina do Plano de Fortalecimento da Igreja Negra para o século XXI; Rev. John Oda, Gerente de Plano do Ministério da Língua Asiático-Americana; Manuel Padilla, diretor interino do Plano Nacional para o Ministério Hispano-Latino; Revda Lyssette Perez, Pastora no OMI Oasis em Pleasantville, Nova Jersey e presidente da MARCHA, e Monalisa Tuitahi, Diretora Executiva do Caucus Nacional das comunidades das Ilhas do Pacífico.

Rev. John Oda, Gerente de Plano do Ministério da Língua Asiático-Americana e Manuel Padilla, Diretor Interino do Plano Nacional do Ministério Hispânico-Latino. Foto Mike DuBose, Notícias MU.

O Rev. Oda, compartilhou em seu discurso, algumas estatísticas que atraíram a atenção dos participantes e reforçaram a necessidade de investir em ministérios com minorias étnicas raciais, em qualquer um dos cenários ou planos aprovados pela próxima Conferência Geral 2020, enquanto à futura estrutura da denominação.

Entre os números mostrados está o aumento da comunidade asiática dentro da IMU em 108%, das ilhas do Pacífico em 100%, da comunidade hispano-latina em 78% e, em menor grau, de outros grupos raciais étnicos, como o afro americano, coreano e americano nativo.

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo

Assine a nossa nova newsletter eletrônica em espanhol e português UMCOMtigo
Você gosta do que está lendo e quer ver mais? Inscreva-se para receber nosso novo boletim eletrônico da UMCOMtigo, um resumo semanal em espanhol e português, com notícias, recursos e eventos importantes na vida da Igreja Metodista Unida

Este número contrasta com a redução da maioria racial étnica da igreja (comunidade caucasiana), que representa quase 90% da denominação e foi reduzida em 21% nos últimos 10 anos.

Manuel Padilla, diretor interino do Plano Nacional para o Ministério Hispano-Latino (NPHLM), destacou a visão libertadora com a qual o Plano para o Ministério Hispânico / Latino da IMU foi fundado: “nunca esteve acorrentado a estruturas organizacionais mas com base em um contexto comunitário de inclusão e equidade, expresso no texto bíblico como Pentecostes. Dada a oportunidade que o momento histórico na sociedade e na igreja apresenta, o Plano está mais do que nunca comprometido com a tarefa de ouvir, elevar e honrar todas as vozes, independentemente de sua cultura, perspectiva teológica ou idioma. O futuro das comunidades étnicas foi, é e sempre será unido pelo seu espírito de solidariedade e colaboração,

Legenda: Rev. Paul Chang, Diretor Executivo do Plano Coreano, e Monalisa Tuitahi, Diretora Executiva do Caucus Nacional das Comunidades das Ilhas do Pacífico. Foto Mike BuBose, Notícias MU.

O Rev. Chang, Diretor Executivo do Plano Coreano, encerrou a intervenção dos planos, expressando o caminho determinado para a confluência de esforços, recursos entre diferentes grupos para o futuro do ministério da IMU: “Somos um plano único com seis expressões”.