A pobreza em Moçambique é um dos vectores multiplicadores do sofrimento dos mais de 28 milhões de habitantes. Ela, se notabiliza pela falta de infra-estruturas robustas ou básicas, não só de saúde, mas também de educação e economia apenas para citar algumas.

É com base nesta realidade que a liderança da IMU nesta Área Episcopal está preocupada com o povo de Deus, desde que esta pandemia de Covid-19 começou, e particularmente em Moçambique.

“Já temos 7 casos positivos de COVID-19 em Moçambique até ontem, dia 26 de março. Isto preocupa-nos como Igreja”, disse a bispa Joaquina Filipe Nhanala, da Área Episcopal de Moçambique em conversa com a nossa reportagem.

Senhor Alfredo Rafael Chume, um dos funcionários da Igreja que guarnece os Escritórios, adiciona água com produtos químicos a entradas dos Escritórios Centrais. Foto de João Filimone Sambo.